Viusmar S. Lima, Estudante de Direito
  • Estudante de Direito

Viusmar S. Lima

São Luís (MA)
23seguidores1seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Estagiário de Direito. Eterno aprendiz da Ciência Jurídica.
Oriundo do interior, sempre procurei desafios que mudassem a minha vida e me proporcionassem crescer como ser humano. Apaixonei-me primeiro pelas Ciências exatas, iniciando minha jornada acadêmica pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, porém, o destino apresentou-me o Direito quando conquistei uma bolsa de estudo. Descobri o que me faz feliz e abracei a oportunidade dada por Deus. Atualmente sou estagiário na Justiça Estadual, em uma Vara da Fazenda Pública, mas antes tive outra experiência no Tribunal Regional Eleitoral.

Recomendações

(32)
E
Edu Rc
Comentário · há 2 meses
"Armar o 'cidadão de bem' é garantir a ele o direito de defesa."
-> Sim, como o Estado não pode não vai defender CADA um dos mais 200 milhões de cidadãos em 100% do tempo, nada mais justo que permitir que o indivíduo o faça, caso assim desejar.

"Bandido bom é bandido morto."
-> Discurso errado, bandido bom não existe.

"fico a me questionar como será a identificação do"cidadão de bem"armado e do"bandido"armado.
-> Mas a é muito simples. Se a pessoa NÃO foi condenada por crimes, em particular com o uso de armas, então é um cidadão de bem. O que não pode é achar que todos são potenciais marginais e por isso ninguém pode ter armas.

" Farão um sinal luminoso que identificará o "mocinho" , diferenciando-o do "vilão" ? "
-> Na verdade é o contrário. Hoje já somos um marginal ou um potencial marginal, a menos que um delegado diga que não é e por isto pode ter a arma.

" Cidadão de bem "x" bandido ", além de serem rótulos totalmente descabidos, são duas faces da mesma moeda. Como diferenciar um do outro?"
-> Respondido acima. TODOS deveriam nascer cidadão de bem, mas no Brasil de hoje, nascemos potenciais assassinos, exceto quando um delegado diz "não, você não é um potencial assassino e pode ter arma".

"posse/porte de arma de fogo deve ser revisto pelo Legislativo e não pelo Executivo. Se no papel de legislador não conseguiu, será no executivo que conseguirá?"
-> O Estado apenas pode RETIRAR da população o que a sociedade entender não ser bom. Do contrário, a população tem liberdade de fazer o que bem entender. Aliás, o Referendo feito foi desrespeitado na cara dura.

Permitir a população ter armas NÃO é para resolver o problema da segurança pública, mas para resolver o problema do indivíduo, no momento que o crime ocorrer E, PRINCIPALMENTE, caso ele queira. Arrastão ocorre porque as chances de ter um cidadão com armas beira a zero. Invade-se prédios e faz a limpa porque as chances de reação armada é nula. Ou seja, o governo é falho na segurança e ainda garante ao marginal que se não houver policial perto não haverá confronto.

Os casos que você cita podem ocorrer? Oras, claro que sim. Você citou DOIS casos onde armas foram utilizadas e acabou com um inocente morto. Porém há outros em que salvou a vida das pessoas. Aliás, será que o Brasil antes do Estatuto do Desarmamento, há uma década atrás, era como você diz? Era este bang bang, briga de trânsito armada, vizinhos mostrando armas para provar quem é mais forte... Não, não era. Nem de longe era assim. Aliás, uma das poucas mudanças no Estatuto que se quer, é que o porte seja concedido de forma CLARA e OBJETIVA, sem que um delegado negue de forma subjetiva.

Perfis que segue

(1)
Carregando

Seguidores

(23)
Carregando

Tópicos de interesse

Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

ANÚNCIO PATROCINADO

Outros perfis como Viusmar S.

Carregando

Viusmar S. Lima

Entrar em contato